ARTE EM CASA: RODA DE BICICLETA, DUCHAMP

Artista condutor da técnica artística ready-made (objetos prontos para uma a criação de uma nova obra), Duchamp em 1914 com um ano antes da Primeira Guerra Mundial trouxe ao público leitor uma obra taxada em seguida como irracional e sem sentido com uma grande roda em cima do banquinho.
Este abstrato subverso indignou o público que se perguntava se a obra era mesmo uma obra de arte ou uma invenção preguiçosa do artista.


Para entender, vale lembrar que durante a montagem já haviam conflitos bélicos acontecendo entre a Alemanha, Inglaterra e EUA. Mas algo não fazia sentido, pois na verdade os dois objetos estavam sem suas funções originais, tanto a roda sem bicicleta e o banquinho impossibilitado de sentar estavam fazendo uma profunda crítica as tecnologias que estavam sendo criadas, em meio ao progresso indústrial que criava tais tecnologias para assassinar brutalmente as pessoas.

O destaque automobilístico da indústria dos EUA, as grandes produções armamentistas e aços da Alemanha junto as britânicos e por fim o controle colonizador detentor da Inglaterra.



A racionalidade iluminista que trouxe o olhar crítico ao tempo da paz armada do sec XX parece ser ainda mais atual no tempo em que vivemos.


Blog Guilherme Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário